Reino Unido pressiona por novo acordo com a UE sobre a Irlanda do Norte
13/10/2021 08:20 em Segurança

Protocolo que estabelece limitações para a circulação de mercadorias irrita o Reino Unido

O secretário de Estado do Reino Unido responsável pelas relações com a UE (União Europeia), David Frost, disse na 3ª feira (12.out.2021), em discurso na embaixada do país em Lisboa, Portugal, que um novo protocolo envolvendo a Irlanda do Norte ou “mudanças significativas” no que está em vigor precisam ser feitas para que o Reino Unido cumpra com o acordo.

“O Protocolo da Irlanda do Norte é a maior fonte de desconfiança entre nós”, afirmou Frost sobre a relação do bloco com o seu país. “Há um sentimento generalizado no Reino Unido de que a UE tentou usar a Irlanda do Norte para encorajar algumas forças políticas a reverterem o resultado do referendo do Brexit, ou pelo menos nos manter mais alinhados com a UE”, completou.

O protocolo mencionado por Frost foi assinado no fim de 2019. Ele é parte dos acordos entre o Reino Unido e a UE para viabilizar o Brexit sem que sejam criadas barreiras físicas entre a Irlanda do Norte (parte do Reino Unido) e a República da Irlanda (país membro da UE), que dividem uma ilha a oeste de Londres.

“O que custa à UE negociar um novo acordo? Não custa muito, em nosso entender”, falou Frost.

Nesta 4ª feira (13.out), a UE deve dar uma resposta aos pedidos do Reino Unido nesse sentido. A expectativa é que a reforma no Protocolo da Irlanda do Norte por Bruxelas fique aquém das exigências de Londres.

A fronteira entre a Irlanda do Norte e a Irlanda foi um dos principais impasses do Brexit. Além de temerem que a colocação de barreiras acentue a rivalidade histórica entre os 2 lados, os países não querem que a circulação de mercadorias na fronteira seja interrompida. Para isso, o protocolo impõe a criação de controles aduaneiros entre as nações do Reino Unido na Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e País de Gales) e a Irlanda do Norte.

Londres quer que a UE facilite a circulação de mercadorias no interior do Reino Unido e que retire o Tribunal de Justiça da UE da função de supervisor.

RESPOSTA
Em resposta a Frost, o vice-primeiro-ministro da República da Irlanda, Leo Varadkar, avisou que vai ser “muito difícil” aceitar as mais recentes propostas do lado britânico, principalmente a retirada da Corte da UE do processo.

“O papel do Tribunal de Justiça da União Europeia é o de tomar decisões sobre as regras do mercado único”, comentou Varadkar sobre a Irlanda do Norte ter permanecido no mercado único europeu depois do Brexit.

Com a saída do Reino Unido da União Europeia, a Irlanda do Norte ganhou um estatuto especial devido à necessidade de manter uma fronteira aberta com a República da Irlanda.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da República da Irlanda, Simon Coveney, disse na 2ª feira (11.out) que “chegará o momento da UE dar um basta” na questão. “Acho que estamos muito perto disso”, falou.

Na visão de Frost, “o Protocolo da Irlanda do Norte foi um abuso da UE em um momento em que as negociações com o Reino Unido estavam em um impasse e, por isso, não pode permanecer como está”. De acordo com ele, essa foi uma forma que o bloco encontrou de “sabotar” o Brexit.

No fim de semana, o ministro das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney, escreveu no Twitter: “A UE está trabalhando seriamente para resolver questões práticas com a implementação do Protocolo –então o governo do Reino Unido cria uma nova barreira de ‘linha vermelha’ para o progresso, que eles sabem que a UE não pode seguir… Estamos surpresos? O Governo do Reino Unido realmente quer um caminho acordado a seguir ou um novo colapso nas relações?”.

Em resposta, Frost declarou preferir “não fazer negociações” através da rede social. “Mas já que Simon Coveney iniciou o processo… a questão da governança e do Tribunal Europeu de Justiça não é nova. Explicamos nossas preocupações há 3 meses”, disse.

Foto:Creative Commons

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!